Território Inimigo
Literatura, História, Museologia e Numismática. Sítio de Goulart Gomes, o criador do Poetrix.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


Sinésio Parachoque
 
 
Sinésio curupira
encantava chãos
anuviava a visão dos transeuntes
com serelepes de calango:
três quartos de século vividos
e alegria de moleque no rasgo da cara
Dentes poucos, nenhum siso
e as cabeças ocas:
muitos filhos
Sinésio envultava desde pequeno
(isto era sabido) feito raio de corisco
Liberdade é coisa cara
que não se sabe apreçar
definir ou entender
feito ar
apenas necessária
Sinésio vivera assim
desalgemado
misturando-se à fumaça das estradas
e ao lume das estrelas
feito neblina
De modo que não se precisa
na incerteza
- este mundo é uma belezura! -
a seta que indica
os rumos que tomou
Viva e deixe-me viver
uivava a última traseira de caminhão
Goulart Gomes
Enviado por Goulart Gomes em 09/04/2010
Alterado em 09/04/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Goulart Gomes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários