× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato
Território Inimigo
Literatura, História, Museologia e Numismática. Sítio de Goulart Gomes, o criador do Poetrix.
Meu Diário
24/01/2008 06h04
MARIA DA CONCEIÇÃO PARANHOS: SEGUNDA-FEIRA

MARIA DA CONCEIÇÃO PARANHOS Pedreira Brandão nasceu em Salvador, Bahia. Poeta, ficcionista, crítica de literatura e artes, dramaturga e tradutora, com vasta obra publicada e premiada, em níveis estadual, nacional e internacional. De sua obra publicada, o primeiro livro, de 1970, Chão Circular obteve prêmio nacional do Governo do Estado da Bahia e tem prefácio de Adonias Filho. Seguem-se, em poesia, ABC-Reobtido (1974) Os Eternos Tormentos (1986). Em 1996, com Esporas do Tempo, recebe o Prêmio COPENE de Cultura e Arte. Seguem-se Minha Terra e Outros Poemas (2000). Delírio do Ver (Rio de Janeiro, Imago, 2002). Com Doutorado em Literatura Comparada pela Universidade da Califórnia, Berkeley, é professora aposentada da Universidade Federal da Bahia.  Grande parte de sua obra poética, ficcional e crítica é inédita. Abaixo, apresentamos SEGUNDA-FEIRA, um dos poemas que integra a série SONETOS DE UMA SEMANA PERFEITA.


 


 


SEGUNDA-FEIRA


 


A quem não foder bem cá neste mundo


há castigos previstos em triste averno,


e por salvar-te aqui do mal profundo


vai logo te afastando desse inferno.


 


Corre, ó Amado, deste mal imundo,


e entrai a salvo no meu paraíso,


pois foder é sinal de muito siso –


neste penar da vida, é bem jucundo.


 


Devêssemos guardar a castidade,


para que Deus nos daria o  tesão,


se não para foder com liberdade?


 


Não duraremos para a eternidade:


se as horas do prazer só vêm e vão,


fodamos já, que é curta a nossa idade.

Publicado por Goulart Gomes
em 24/01/2008 às 06h04