× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato
Território Inimigo
Literatura, História, Museologia e Numismática. Sítio de Goulart Gomes, o criador do Poetrix.
Meu Diário
25/08/2008 06h41
GREGÓRIO DE MATOS: A huma Moça, que mandou coçar hum braço por hum seo moleque.

A huma Moça, que mandou coçar hum braço por hum seo moleque.


 


 


Corre por aqui huma voz,


e vem a ser o motivo,


Sylvia, que o vosso captivo


se Levantou para vos;


o cazo he torpe, e atroz,


e quis que a fama corresse


só para que se entendesse


pelo vosso braço, e mão,


que junto ao fogo o carvão


era força se acendesse.


 


Vos mandastes que o Moleque


vos fosse o braço coçar,


e ele quis vos esfregar


mais que o braço o sarambeque,


procedeo bem o Alfaqueque,


se bem nisso se repar;


e eu o mesmo intentara,


se me vira nesses passos,


que isto de chegar a braços


bem sabeis vos no que pára.


 


Vos estendestes a mão


e chegandolhe a barguilha,


entre verilha, e verilha


topastes hum camarão


hia entrando no terão


o coitado do Negrete,


e porque vos em falsete


tal grito lhe Levantastes,


como o fogo lhe afastastes,


apagou se lhe o pivete.


 


Se outra vez vos der a tosse


de coçar a comichão,


não chameis o Negro não,


coçaivos com quem vos coce,


e se estaes já sobre posse,


ou vos não podeis mecher,


deixay a sarna comer;


pois bem sabeis que hade andar


atraz do comer, coçar,


e a traz do coçar, comer.

Publicado por Goulart Gomes
em 25/08/2008 às 06h41