× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato
Território Inimigo
Literatura, História, Museologia e Numismática. Sítio de Goulart Gomes, o criador do Poetrix.
Meu Diário
11/08/2007 06h08
HAROLDO DE CAMPOS: O faquir

Haroldo de Campos celebrizou-se como poeta por ser o maior expoente da Poesia Concreta. Mas, descubro em Xadrez de Estrelas uma face menos conhecida do poeta, de beleza incomum. Como exemplo, transcrevo o poema O FAQUIR:



O FAQUIR

 

I

 

Tenho a flauta nos beiços,

e sozinho modulo.

 

Onde quer que coloquem o eixo do mundo,

tenho a flauta, e modulo.

 

Há mulheres que vêm como najas dançantes

e desnalgam luares sobre mim, que modulo.

 

Há crianças que ordenham meu sopro,

e o merendam.

 

 

II

 

Minha flauta caiu

sobre o mar, e foi istmo

entre os dois hemisférios.

 

Minha flauta, joguei-a

no céu, e foi lança

contra os flancos da Andrômeda.

 

 

 

III

 

Ah! que estranho poder

entre os beiços que modulo!

 

Se o empregara no bem,

nutriria meu povo entre os linhos floridos.

Sobre os lagos de leite o nenúfar descera,

e as ovelhas balindo mostrariam ao rebanho os cordeiros recentes.

 

Mas usei-o no mal.

E a mulher e a serpente afinal conciliadas

suscitaram do lodo uma fêmea de jade,

que eu chamara Kali, em cujos dedos hábeis

desgrenhei o meu corpo, qual um vento de paina.

 

(Haroldo de Campos, in Xadrez de Estrelas)

Publicado por Goulart Gomes
em 11/08/2007 às 06h08